Treinamento Físico Funcional para Lutas

A preparação física deve ser planejada e regida por leis que devem ser seguidas. Uma dessas leis é conhecida como especificidade, e diz que, o treino deve estar o mais próximo possível da atividade praticada. Quando falamos de lutas, isso não é diferente. O grande problema é que muitas vezes confundimos os conceitos, e entendemos treinamento físico como treinamento técnico.

Com o crescimento do treinamento funcional muitos acrescentaram aos gestos técnicos materiais como pesos, barras, kettlebells e diversas ferramentas que acabaram fazendo com que o treino técnico e o treino físico se confundam.

Muitos dos maiores coachs conhecidos mundialmente, utilizam a preparação física como a principal forma de fazer com que o atleta não se lesione. Mas, se pararmos para pensar no dia-a-dia de um atleta de MMA, quantos socos, chutes e quedas ele realiza? Vários! Então será que a melhor forma de elaborar uma sessão de treinamento físico é repetindo gestos técnicos com carga? Será que não irá sobrecarregar de forma equivocada as articulações deste atleta?

Pense quais as valências físicas serão necessárias em uma luta. Este será o foco da preparação de um atleta. Quer deixar mais específico? Detecte os pontos fracos deste atleta e foque no que ele precisa. Um exemplo de atleta com déficit de força: Se percebe que aí está o elo mais fraco, treine agachamentos, levantamento terra, remadas e supinos. Se for potência o que ele precisa, treine Clean & Jerk e Snatch, movimentos de levantamento olímpico que auxiliarão ele na conquista dos seus objetivos, corrigindo assim fraquezas e potencializando cada vez mais os ganhos desse atleta.

Professor Tiago Proença

Matéria veiculada na edição 12 da revista Shion Magazine.